21 de mai de 2009

Histórias de Edgard Parte III

Ps¹ >Sim o texto é grande
Ps²> Não revisei o texto, desculpem os erros.

Histórias de Edgard Parte III
Julho de 2003
Finalmente havia chegado as férias do meio de ano, apesar do inverno sempre estava um clima agradável e gostoso.
Todos do colégio já acertavam os últimos detalhes da viagem. Acampamento. O local escolhido era a antiga floresta de Darwvood, onde se instalava o acampamento Blue Sky, um tanto quanto precário para um acampamento.
Depois de muita insistência resolvi aceitar o convite de Felipe e nos primeiros raios do primeiro dia de férias lá estava eu com minha enorme mochila pesada.
Os componentes dos dormitários, para minha sorte, eram sorteados e pouco a pouco os brutamontes da Turma do Fred caíram no memo quarto que eu, até que Felipe também fora sorteado no mesmo dormitório para meu alívio. Tudo bem eram apenas quatro dias, não iria ser tão difícil. estava enganado.
Assim instalados em seus devidos dormitórios, se iniciaram as atividades, aquelas em que você paga um mico mas no fundo se diverti muito, sem contar nos famosos "tius" sempre com nomes estranhos.
Tudo estava muito estranho. Nenhuma bronca, nenhuma confusão, nem explusão, a turma do Fred estava muito comportada para a ocasião. O pior estava para noite. Na hora de durmir achei minha mochila toda revirada e suja. Se não bastasse isso no dia que seguia acordei coberto por creme dental no rosto, enquanto aos meus companheiros de quarto incluindo Felipe nada havia acontecido. Resultado? Eu e Felipe perdemos algumas atividades até que me limpasse.
Na noite daquele dia aconteceria a festa do farol, e também foi naquela noite que tinha descoberto que Mariana morria de paixão pelo meu amigo. Ao mesmo tempo que ficava feliz por ele, temia que ele se distanciasse de mim. Sabia que sua amizade não duraria para sempre, mas o fato de que Felipe nã ohavia compartilhado o "lance já combinado entre eles me deixou muito magoado naquele dia. Tristeza maior foi durante a festa, onde ao procurar por felipe me deparei com ele e Mari aos beijos próximo a lagoa. Não sabia porque mas lágrimas desceram pelo meu rosto e um aperto no coraçao me trouxe um pensamento em minha mente: Apenas lágrimas editam minh'alma, frase esta que utilizo até hoje em meus textos. Para mim a festa acabara, a única coisa que queria ali era dormir e apagar meus pensamentos. E assim foi. Até que com uns chacoalhões fui acordado no outro dia aos berros pro Felipe dizendo que estava atrasado para a trilha.
As esquipes para a trilha eram as mesma que as pessoas do dormitórios, até que fiquei contente por saber que como a gincana exigia esforço fisico sairíamos bem com a brutalidade da gang e a força de Felipe. Falando nisso, durante toda a atividade eu estava indiferente com Felipe, mal conversava, apenas andava e fazia de tudo para nao precisar de sua ajuda na trilha.
- O que você tem? Ontem nao te encontrei na festa e hoje você está estranho.
- não tenho nada, apenas nao durmi bem eestou cansado.
- Beba um pouco de água.

Só pra variar Fred tomou a frente do grupo o que nos levou a uma enrrascada, estávmos perdidos. E se já não bastasse isso após muito andar acabamos nos perdendo da gang )eu e Felipe). Até hoje acho que foi proposital.
A tarde caia, a fome batia e o medo crescia.
- Esses aparelhos são um lixo nunca funcionam quando precisamos dele porra.
- Edgard, raiva nao irá nos levar a nada, acho que deveríamos nos separar e buscar alimentos e coisas para nos abrigarmos, logo ficará escuro e aí já era.
Não queria me separar, nunca tinha andado em uma floresta ainda mais sozinho, mas concordei não havi escolha.
- Não se preocupe, qualquer coisa grite e irei correndo te salvar mané.
Toda minha raiva fora embora naquele momento. Felipe sabia como me alegrar e motivar. Após a busca percebi que estava perdido, não conseguia achar o local de encontro, Já estava escuro. Lembro-me como estava suando frio e como ouvia sons e vozes por aquela floresta, quando menos percebi estava desesperado correndo entre as árvores.
PLUFT
- Felipe
- Ed

Apenas aquele abraço e o pulsar de seu coração poderiam me acalmar naquele momento.
- Estava preocupado com você mew. Logo deverão nos achar, já devem ter dado conta de nosso sumisso.
- Assim espero, ainda bem que encontramos essas frutas e madeira.

Aquela floresta era mais escura que o negro, o que nos salvava era a fogueira que a muito cursto conseguimos fazer.
Auuuuuuuuuuu
- Lobos?
- Não sei, só sei que não quero morrer.

Chegava cada vez mais perto de Felipe até que sem perceber esmagava sua mão e seu braço.
- Hei Edgard calma, vai ficar tudo bem. Vamos descançar e tentar durmir, amanhã de manhã procuramos ajuda.
Nunca tinha visto edgard sem camisa, mas sabia de sua fama por ter um corpo bacana. E eu ali todo magrelo. Fiquei adimirado e com certa inveja dele.
Auuuuuuuuu
Flipe percebera meu estado de pânico e perante a situ me abraçou.
- Vai ficar tudo bem meu amigo, não se preocupe.
Aquelas foram as ultimas palavras que ouvi naquela noite e o céu estrelado a última visao.Estava protegido. Como sempre foi. Grande companheiro Felipe.
No outro dia pela manhã conseguimos encontrar uma trilha e logo o grupo de resgate nos achou. No acampamento a agitação era total. Tanto que decidiram terminar a viagem ali mesmo. Até hoje nos culpam. rs
Enfim terminava o acampamento, todos voltariam para suas vidas normais e aproveitariam o restante das férias. Porém o mais importante pra mim foi que percebi naquela viagem o quanto Felipe era especial para mim. Grande companheiro Felipe.

0 Opiniões: